Como montar uma tabela de preços de fotografia

Como montar uma tabela de preços de fotografia

Aprenda a cobrar o valor justo pelos seus serviços

Ter uma tabela de preços de fotografia é fundamental para qualquer um que queira trabalhar profissionalmente com fotos. Afinal, além de ser mais do que justo que você receba uma remuneração condizente com o seu trabalho, é o pagamento por seus serviços que vai garantir que você pague os custos da execução e tenha lucro.

A maioria dos fotógrafos sabe disso, mas muitos deles enfrentam dificuldades na hora de fazer orçamentos. Fotografia é uma arte, e por isso pode ser bem complicado colocar um preço nos seus serviços, mas prestando atenção em alguns detalhes é possível. Vamos te dar algumas dicas para precificar o seu trabalho corretamente e montar uma tabela de preços de fotografia que te permita lucrar com ele.

>> Quer saber qual é o salário de um fotógrafo? Veja aqui!

Copiar a tabela de preços de outro fotógrafo é uma boa?

Como precificar os seus serviços pode ser um pouco complicado, alguns iniciantes copiam as tabelas de preços de algum outro fotógrafo profissional.

Pesquisar os valores do mercado pode, sim, ser algo interessante, principalmente se você analisar os preços cobrados por seus concorrentes diretos, ou seja, aqueles que oferecem serviços semelhantes e os vendem para o mesmo público consumidor.

No entanto, copiar a tabela de outra empresa não é o ideal. Não existe um preço de fotógrafo único e absoluto, então cada profissional calcula a sua remuneração segundo seus próprios custos.

Se você não sabe quais são as despesas e o lucro de outro fotógrafo ou empresa de fotografia, não saberá como eles chegaram àqueles valores. O resultado é que você pode acabar cobrando um preço que não está de acordo com seus custos e terminar no prejuízo.

O ideal é que você não copie os preços, mas se inspire apenas na estrutura. Para isso, você pode usar o nosso Modelo de Tabela de Preços: Fotógrafo Profissional [link] que te ajuda organizar melhor os seus preços!

Como criar uma tabela de preços para fotógrafos iniciantes

Uma excelente forma de começar a desenhar a sua tabela de preços de fotografia é fazendo uma lista de todos os serviços que você pretende oferecer. Ensaios internos e externos, coberturas de eventos, impressões, montagem de álbuns são alguns dos mais populares e que talvez estejam no seu mix de serviços.

Em seguida, escolha um dos serviços que você listou e pense em todos os custos que ele vai gerar. Depois, você vai calcular a sua remuneração devida pelo serviço e acrescentar ao valor das despesas. Para ficar mais simples de entender vamos ver um exemplo. 

Vamos supor que você quer se tornar um fotógrafo de casamentos e vai cobrir oito eventos por mês, ou seja, dois casamentos em cada fim de semana.

Para a cobertura de cada um você precisa levar um freelancer, que cobra R$ 300 por evento. Ao todo, seriam R$ 2.400 com a remuneração do freela. Para conseguir os oito eventos por mês, você fará um investimento em marketing que vai custar R$ 200. Você calculou ainda que, antes de assinar o contrato, terá de fazer pelo menos uma reunião com cada casal e vai gastar cerca de R$ 50 em gasolina para comparecer às reuniões.

Por fim, você acredita que seu equipamento precisará ser substituído daqui a 5 anos, e o ideal é que você guarde R$ 300 por mês para ter o valor necessário para isso. Ao todo, seus custos fixos seriam de R$ 2.950, o que resultaria em R$ 368,65 por cobertura de casamento. Sobre esse valor você deve incluir o que deseja ganhar por evento.

Custos fixos

Por mês

Por evento

Freelancer auxiliar

R$ 2400

R$ 300

Marketing

R$ 200

R$ 25

Reuniões

R$ 50

R$ 6,25

Depreciação de equipamentos

R$ 300

R$37,50

CUSTO TOTAL

R$ 2950

R$ 368,75

O valor de remuneração é bastante individual, mas o ideal é que você calcule um pró-labore, ou seja, um salário semanal ou mensal que seja suficiente para arcar com suas despesas pessoais, e separe mais um valor de lucro para manter no caixa da empresa.

Vamos imaginar que você precisa de R$ 4.000 para seus gastos pessoais e quer deixar no caixa mais R$ 500 todos os meses para o capital de giro.

Se você decidir trabalhar apenas com a cobertura de casamentos nos fins de semana, vai precisar de um faturamento de R$ 7.450 por mês, o que, dividido por oito eventos, daria o valor mínimo de R$ 931,25 para cada cobertura de casamento.

Despesa mensal dos serviços: R$ 2.950

                                 Pró labore: R$ 4.000         +

                          Capital de giro: R$ 500

                                                    —————

                                           Total: R$ 7.450 ÷ 8 eventos = R$ 931,25 por evento

Seguir essa lógica pode ajudá-lo não só a formar o valor de cada serviço e criar uma tabela de preços de fotografia, mas também a descobrir quantas coberturas, ensaios e outros serviços precisará comercializar por mês para cobrir os custos, tirar seu pró-labore e lucrar.

>> Leia, também, Como ganhar dinheiro com fotografia.

O que considerar no orçamento de fotografia

Tendo uma ideia melhor sobre o valor que deve cobrar por serviço, você terá mais desenvoltura montando o seu orçamento de fotografia.

Normalmente o pedido de orçamento é o primeiro contato com o consumidor, então é importante que este documento seja bem montado, informativo e passe uma boa primeira impressão.

O mais indicado quando um cliente entra em contato pedindo um orçamento é que você não mande a sua tabela de preços diretamente. Primeiro, avalie se ele pediu por algum serviço específico e tente personalizar o orçamento para atender melhor às necessidades dele. Isso, certamente, vai contar muitos pontos a seu favor!

>> Baixe grátis o modelo de Orçamento/Proposta para fotógrafos!

Na hora de produzir orçamentos de fotografia você deve se atentar a alguns aspectos bastante importantes. São eles:

Tipo de serviço: a base do orçamento é o tipo de serviço solicitado. Use a sua tabela de preços de fotografia para começar a desenhar o valor final do trabalho.

Duração: pode ser que o cliente queira um serviço mais enxuto ou mais elaborado, e isso pode impactar na duração do trabalho. Considere criar pacotes específicos para cada caso e tenha um valor de hora extra para incluir, caso seja preciso.

Equipamento necessário: alguns tipos de trabalho podem demandar um equipamento mais caro, e isso também vai impactar no orçamento final. Se o cliente quiser um ensaio pré-wedding com fotos de drone, por exemplo, o valor de aluguel deste equipamento deve ser incluído no orçamento de fotografia.

Equipe necessária: se você precisar contratar freelancers para ajudá-lo em uma cobertura, uma maquiadora para produzir o cliente no ensaio ou um profissional para editar as fotos e montar o álbum, isso também deve estar no orçamento de fotografia.

Quantidade de fotos: muitos serviços têm seus valores definidos pela quantidade de fotos que são tratadas e entregues para o consumidor escolher e você pode usar esse parâmetro na hora de montar um orçamento personalizado.

Urgência na entrega: você deve estabelecer os prazos de entrega das fotos no orçamento, mas se o consumidor precisar delas com antecedência, pode considerar uma taxa de urgência.

Esse valor deve ser calculado com base nas horas extras necessárias para entregar o trabalho a tempo (sejam suas ou de outro profissional) e até na possibilidade de contratar outra pessoa para auxiliar na entrega.

Necessidade de deslocamento: o transporte e a alimentação também devem sempre ser incluídos quando o serviço exigir um deslocamento, ou seja, esteja fora do seu estúdio ou local onde costuma trabalhar.

Se preferir, você também pode incluir o transporte como um dos seus custos fixos e delimitar uma área de atuação. Por exemplo, se a locação for dentro da cidade de São Paulo, o consumidor não paga o deslocamento, se for fora do município o valor poderia ser de R$ 5 por quilômetro rodado.

Volume de impressões: se o serviço incluir a impressão de todas ou de algumas fotos, esse custo também precisa ser repassado ao consumidor.

5 dicas para um orçamento de fotografia vencedor

1. Priorize a informação, sem esquecer da aparência

É claro que o objetivo principal de criar uma tabela de preços de fotografia e um orçamento personalizado é informar os preços dos seus serviços. Mas você não pode se esquecer, também, que todos os materiais que são enviados para os consumidores precisam ter uma boa aparência e criar uma primeira impressão positiva.

Por isso, crie tabelas e orçamentos visualmente atraentes, fáceis de entender e bem organizados para passar uma imagem profissional e agradar ao comprador. 

2. Dê os motivos primeiro e os preços depois

Antes dos preços de fotografia, é importante dar os motivos para que o cliente feche com você. Explicar um pouquinho da sua história e do que o torna diferente da concorrência, mostrar alguns exemplos do seu trabalho e até incluir depoimentos de quem já foi fotografado por você são excelentes formas de mostrar que os seus serviços não têm apenas preço, mas também valor.

3. Esteja a disposição

Não se esqueça de colocar todos os seus contatos, incluindo site, e-mails e telefone e de se mostrar à disposição, caso o cliente queira tirar alguma dúvida ou marcar uma reunião. Cordialidade e atenção no atendimento serão fundamentais para ajudá-lo a fechar o negócio. 

4. Inclua a validade

A validade do orçamento é um detalhe que não deve ser esquecido. Ela garante que o consumidor saiba que os preços ali descritos são válidos apenas dentro de um período e que você pode reajustá-los conforme for necessário.

5. Explique sobre o pagamento

Também é muito importante explicar as formas e os meios de pagamento que você aceita. Muitos profissionais oferecem descontos no pagamento à vista ou via transferência bancária, e você pode fazer o mesmo se isso for interessante para o seu ciclo financeiro.

Com essas dicas você vai conseguir montar uma tabela de preços de fotografia que vai ajudá-lo a cobrir os seus custos, fazer o seu negócio lucrar e ainda criar orçamentos de fotografia que vão atrair o público e gerar mais contratos fechados!