Loja de roupas cresce mais de 40% depois de investir em e-commerce

Loja de roupas cresce mais de 40% depois de investir em e-commerce

Conheça a história da marca que decolou depois de investir na Loja VirtUOL

Muitas pessoas que já vendem por meio das redes sociais não veem a necessidade de investir em uma plataforma própria, como um e-commerce, e não percebem o quanto ter sua própria loja virtual pode impulsionar seu negócio. Letícia Ricco Vaz é a prova viva disso.

A empreendedora de 20 anos começou vendendo roupas pelo Instagram, rede social de fotos, e até estava conseguindo desenvolver o negócio, mas foi quando apostou na criação de sua própria loja virtual que a marca deslanchou e as vendas cresceram mais de 40%.

Uma das explicações para isso é o fato de as redes sociais não serem feitas para venda, o que dificulta o acesso e deixa todo o processo de compra mais lento.

Quem vende pelo Instagram, por exemplo, como Letícia fazia, só consegue alcançar os clientes que têm uma conta na rede social. E isso faz com que um público enorme que não está no Instagram seja deixado de fora.

Além disso, como a plataforma de fotos não foi feita para vender, não há como comprar diretamente no Instagram, o que faz com que consumidor e vendedor tenham de conversar por mensagem para combinar o pagamento e a entrega. 

O fato de o procedimento de compra não ser automatizado faz com que a venda demore e exija mais tempo do vendedor. Aliado a isso, a plataforma não oferece segurança para nenhum dos lados, o que afasta clientes e impede que quem atua apenas nessa plataforma consiga realmente impulsionar suas vendas.

>> Leia, também, 9 vantagens de ter uma loja virtual mesmo que você já venda pelas redes sociais

Letícia confirma: “As facilidades do site me ajudam a poupar tempo e permitem que eu saiba quais são as peças mais vendidas, quem são os clientes que mais compram e para quem eu posso dar desconto”, e completa: “com a confiança que o site passa, dá para as pessoas comprarem com tranquilidade”. A confiança à qual a jovem empreendedora se refere também é transmitida pelo simples fato de a marca ter um e-commerce.

Afinal, a loja virtual foi feita para vender online e demonstra que a empresa teve a preocupação de investir em um ambiente profissional para seus consumidores. Isso, automaticamente, eleva a confiança do comprador e faz com que ele esteja mais inclinado a fechar a compra com sua marca.  

O ideal é que, desde o início, o empreendedor já comece a vender com uma plataforma específica para e-commerce, mas muitos acabam entrando no ramo por acaso e experimentando o mundo do varejo por intermédio de outras ferramentas. Com Letícia foi assim.

Ela já era apaixonada por moda desde os 15 anos, e a moda dos cropped tops (blusas com comprimento acima do umbigo) a fez cortar e customizar uma de suas roupas para ir a uma festa. Chegando lá, o visual de Letícia fez sucesso e várias amigas se interessaram pela peça que ela mesma tinha feito.

A empreendedora, então, começou a operação vendendo pelas redes sociais, mas foi quando abriu sua própria loja virtual que ela percebeu os resultados. “No começo da confecção eu tinha em torno de 6 peças, hoje tenho cerca de 250”, conta Letícia.

Letícia é uma das empreendedoras que viu sua empresa decolar depois que investiu na Loja VirtUOL, a plataforma de e-commerce do UOL que te ajuda a impulsionar suas vendas e profissionalizar a sua marca.

Também trabalha no comércio, mas ainda não tem uma loja virtual? Então conheça já a Loja Virtual e veja como é fácil e rápido criar o seu próprio e-commerce e fazer as suas vendas decolarem também.