O que são lojas virtuais open source?

O que são lojas virtuais open source?

Saiba a diferença entre elas e os sistemas de lojas prontas

Atualmente, para criar um e-commerce e começar a vender pela internet não tem muito segredo, uma vez que existem diversas plataformas no mercado que não exigem conhecimento técnico e que, em poucas horas, colocam um e-commerce no ar.

Uma dessas soluções é a Loja Virtual, pensada para quem não tem experiência com programação e precisa de algo mais simples e expresso. Mas quem deseja um sistema mais robusto e possui conhecimentos mais técnicos, pode optar por uma loja virtual construída sobre uma Plataforma Open Source.

Altamente profissionais, essas plataformas são soluções perfeitas para quem quer agregar mais funcionalidades, recursos e sair do básico.

Open source é o termo em inglês para código aberto. Usar um recurso open source significa ter livre acesso ao código da ferramenta e poder mexer nele à vontade. Isso eleva muito o grau de personalização das aplicações, porque você tem uma base já construída e pode alterar, adicionar e retirar as funcionalidades e características que quiser. Isso, claro, desde que você tenha conhecimento em programação ou esteja trabalhando com um profissional que vai desenvolver seu e-commerce.

Usando esse tipo de ferramenta, você pode alterar e desenvolver o código, mas não precisa, necessariamente, fazer isso. Esses tipos de sistema de e-commerce costumam ser bem completos e estão sempre sendo aperfeiçoados. Então, mesmo que você não altere nenhuma linha de código, ainda terá uma excelente ferramenta para trabalhar.

As plataformas

Existem algumas lojas virtuais open source disponíveis no mercado, e é interessante que você as conheça bem antes de optar por uma. As mais conhecidas são:

Uma das primeiras plataformas a se destacar e atual líder em número de lojas que usam o sistema, o Magento é um modelo de e-commerce modular, no qual você pode agregar diferentes recursos para tornar sua loja mais completa e deixá-la com a cara do seu negócio.

Um dos pontos mais fortes do Magento é seu sistema de SEO (Search Engine Optimization), responsável por ajudar a melhorar o posicionamento de um site em buscadores como o Google.

Em razão da popularidade que conquistou e da grande e ativa comunidade de desenvolvedores que tem, existe uma infinidade de temas e plugins, pagos e gratuitos, que você pode usar no seu negócio. É indicada para quem tem ou quer desenvolver uma loja de grande porte.

 Leia também: 8 dicas de segurança para Loja Magento

É amplamente recomendada para desenvolvedores front-end e ideal para quem trabalha com linguagem JavaScript. Apesar de ter mais de 7 mil plugins instaláveis e funcionalidades como módulo de cartão de crédito e de entrega de produtos, os templates e painéis são um pouco mais simples que os do Magento, o que o faz um sistema mais indicado para lojas de médio ou pequeno portes.

 Leia também: Magento X Prestashop X OSCommerce

Mais de 100 mil lojas usam esse sistema, que é um dos mais adorados no mundo. A PrestaShop conta com mais de 3,5 mil módulos e um painel simples e amigável que vai ajudá-lo a gerenciar sua loja sem dor de cabeça.

Se você escolher essa plataforma, ainda pode optar entre 2 mil layouts e ter acesso a recursos de SEO, Analytics (ferramenta do Google que o ajuda a acompanhar o desempenho do seu site) e gestão completa da loja pelo celular.

Agora que você já conhece o open source e também as melhores plataformas do mercado, não perca mais tempo e comece já a desenvolver sua loja virtual! Não se esqueça de que o UOL Meu Negócio tem planos de Hospedagem já com todas essas plataformas instaladas. Confira!