EmpreendedorismoMateriais

Planilha ajuda a escolher o melhor regime tributário para o seu negócio

8 Mins read

Você ainda não sabe qual é o modelo de recolhimento ideal para a sua empresa? Com a planilha de planejamento tributário do UOL Meu Negócio, você garante a opção mais adequada para ficar em dia com as suas obrigações e não gastar mais do que o necessário. 

Quem inicia um novo negócio precisa tomar várias decisões e realizar alguns processos para manter a empresa dentro da legalidade. E um dos primeiros passos na formalização é a definição do regime de tributação.

Isto é, escolher o melhor enquadramento para a garantia de que você vai pagar apenas os impostos devidos e estará em plena conformidade com a lei. Optar pelo regime errado pode descapitalizar o seu negócio logo nos primeiros anos e colocar em risco a sua saúde financeira. 

Para pequenas e médias empresas, a escolha pode ser um pouco complicada, pois envolve uma projeção de faturamento e particularidades do tipo de atividade que será realizada, já que existem negócios que podem ou não se enquadrar em determinado tipo de regime.

A boa notícia é que nossa planilha comparativa de tributação facilita todo esse processo, antes de baixá-la, é importante que você conheça as principais particularidades sobre o assunto. 

Por isso, preparamos este artigo para lhe ajudar. Nele, você verá:

  • Como funciona o regime tributário para empresas?
  • O que significa fazer um planejamento tributário?
  • Qual o regime tributário mais vantajoso para o seu negócio?

Pronto para manter as obrigações do seu negócio em dia e ainda otimizar as suas demandas financeiras?

>> Conheça as ferramentas ideais para o seu negócio. Garanta o seu Pacote Office 365 com o UOL Meu Negócio!

Como funciona o regime tributário para empresas?

O regime de tributação nada mais é do que o sistema que define como e quanto cada CNPJ irá pagar de impostos, de acordo com o montante que o negócio arrecada. 

Ainda, ele é estabelecido com base em alguns critérios que definem o perfil e a realidade da empresa. Isso diz respeito ao seu porte, o quanto fatura anualmente, o tipo de atividade que exerce, e assim por diante. 

Na legislação brasileira, os tipos de regime tributário principais são: Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional. Veja abaixo como eles se caracterizam e qual seu modo de funcionamento: 

Quais são os tipos de regime tributário?

Basicamente, quanto menores são os ganhos e o porte de um negócio, menos impostos ele precisa pagar. A lógica pode até parecer simples, mas na hora de utilizar a sua planilha de planejamento tributário, é importante entender o que define cada regime:  

  • Lucro Real: trata-se do modelo que pode ser adotado por todos os negócios, ele é mais complexo e tem mais impostos a serem pagos. Nele, a apuração da Contribuição Social (CSLL) e do Imposto de Renda (IRPJ) ocorre diretamente sobre o Lucro Líquido. O mesmo é apurado na escrituração contábil.
  • Lucro Presumido: alguns negócios podem aderir ao Lucro Presumido e pagar menos impostos do que no Real. Isso porque, as apurações do CSLL e IRPJ não são feitas sobre todo o lucro contabilizado na organização, mas sim sobre um percentual estimado (presumido) de seu lucro. 
  • Simples Nacional: por fim, os empreendedores que conseguem se enquadrar no Simples pagam ainda mais barato e de um jeito simplificado. Nesse modelo, um valor fixo é cobrado pela atividade exercida e todos os tributos são pagos de maneira unificada, por meio de uma guia chamada de DAS.

Esses são os modelos de tributação que você irá encontrar na sua planilha de planejamento tributário. Agora que você já sabe seus conceitos, entenda no item seguinte como eles funcionam.

>> Aproveite para baixar agora o material e acompanhar o conteúdo explicativo!

Como funciona a tributação em cada regime?

Depois que o regime é definido na abertura da empresa, sua validade dura 12 meses. Ele pode ser renovado ou alterado no próximo ano-calendário, caso se encaixe nos critérios de enquadramento de outro modelo. Entenda as regras:

‍Lucro Real

Como explicamos, a tributação do Lucro Real é calculada a partir do lucro líquido da empresa. As cobranças podem ser trimestrais ou mensais. O primeiro caso já quita as obrigações nos 4 pagamentos. Já no segundo, o que foi pago mensalmente é descontado do cálculo anual.  

As alíquotas são de 9% e 12% sobre o CSLL e 15% no IRPJ. Ainda há o PIS e COFINS, de 1,65% e 7,6%. Como os tributos são mais caros, esse modelo é restrito às grandes organizações. Todo CNPJ que fatura a partir de R$78 milhões anuais deve se enquadrar.

Lucro Presumido

Já aqueles que cuidam da planilha de controle de impostos no Lucro Presumido só precisam calcular as alíquotas do IRPJ e da CSLL (iguais às do caso anterior) com base em um percentual fixo. Ele é definido por lei de acordo com o ramo de atuação do negócio.

O grande benefício é que, mesmo se a empresa conquistar uma lucratividade maior do que a prevista, ela só precisará pagar impostos sobre a margem que já está previamente fixada. Para se enquadrar, é preciso ter receita bruta igual ou menor que R$78 milhões.

Simples Nacional

Como o nome sugere, esse é o formato mais simples e menos oneroso. Inclusive, por ser mais acessível, ele é bastante chamado de “regime tributário MEI”. Contudo, além dos Microempreendedores Individuais, também podem se enquadrar MEs e EPPs.

Os MEIs que desejam aderir ao Simples e pagar apenas a DAS não podem faturar mais que R$81 mil por ano. As Microempresas devem ter receita igual ou menor que R$360 mil. Para Empresas de Pequeno Porte, há receita bruta máxima de R$4,8 milhões e mínima de R$360 mil.

O que significa fazer um planejamento tributário? 

Sabia que, quando você usa uma planilha comparativa entre Simples Nacional e Lucro Presumido, ou entre Simples e Lucro Real, por exemplo, você já está fazendo uma espécie de planejamento tributário?

Afinal, esse tipo de planificação de tributos consiste justamente em um conjunto de ações que visam diminuir a carga de impostos de uma empresa. Basicamente, são as estratégias que a pessoa empreendedora adota para gastar menos com o Fisco. Claro, de forma totalmente legal. 

Todo contribuinte pode formar uma empresa e organizar seus negócios da forma que lhe for mais vantajosa. Esse é um direito que também inclui a busca por uma maior rentabilidade por meio da diminuição dos custos com impostos. 

Como você pôde ver, toda organização pode fazer parte do Lucro Real, mas aquelas que conseguem se enquadrar no Presumido irão pagar menos impostos. O mesmo vale para quem têm a possibilidade de aderir ao Simples Nacional. Portanto, a escolha deve ser criteriosa.

Garanta sua planilha de planejamento tributário

Para fazer um bom planejamento tributário, você precisa levantar uma série de informações. Elas vão desde a análise da sua receita bruta, até a margem de lucro, previsão de despesas, e assim por diante. 

Em um primeiro momento, fazer todos os estudos necessários pode parecer desafiador. A boa notícia é que a planilha de planejamento tributário do UOL Meu Negócio torna tudo muito mais simples, independentemente do porte da sua organização. 

>> Baixe gratuitamente a Planilha de Planejamento Tributário agora mesmo e saiba qual é o melhor enquadramento para o seu negócio!

Qual o regime tributário mais vantajoso para o seu negócio?

As empresas que querem se enquadrar no Lucro Presumido precisam certificar-se de que não são obrigadas a participar do Lucro Real. No caso do Simples Nacional, as limitações são ainda maiores. 

É justamente por isso que a planilha de planejamento tributário é tão importante. Isso porque, o ideal seria aderir à modalidade que paga menos impostos, mas o regime mais vantajoso depende de cada negócio. 

Sendo assim, para fazer uma escolha assertiva, é fundamental analisar uma série de questões. 

Quais os principais fatores para definir o modelo mais adequado?

Como você verá abaixo, na nossa explicação sobre o cálculo da planilha de planejamento tributário, os principais fatores considerados incluem:

  • Receita Bruta
  • Folha de Pagamento
  • Encargos Sociais
  • Custo de mercadorias e outras despesas. 

Entretanto, tenha em mente que tudo varia de acordo com cada caso. Não existe uma regra única, de que todas as empresas da mesma área ou com as mesmas metas comerciais devem aderir ao mesmo regime. 

Isso porque, uma mesma organização pode ter realidades bastante diferentes com o passar dos anos. O que era vantajoso em um período, pode não ser mais no seguinte. Assim, o ideal é ficar sempre atento aos fatores citados e checar continuamente qual é a tributação mais adequada. 

Qual a importância da escolha correta do regime de tributação?

Evidentemente, a grande vantagem de usar a planilha de planejamento tributário é não pagar mais tributos que o necessário. Da mesma maneira, isso também garante que você não pague menos do que deve e não fique inadimplente perante o Fisco. 

Somado a isso, também há mais benefícios. Afinal, enquanto se planeja, você também entende melhor as alíquotas cobradas da sua empresa e garante condições melhores para se estruturar. Assim, há mais chances de que suas obrigações não prejudiquem a busca por seus objetivos. 

Como é feita a análise para a definição?

Além dos fatores que refletem a realidade atual da organização, também é importante promover algumas estimativas. O motivo é que a definição do regime tributário é feita no início do período de 12 meses. Entretanto, ela é válida para todo o ano. 

Assim, é importante não limitar-se apenas ao que é vantajoso no período que passou. Também é fundamental prever o que é mais benéfico diante das variáveis que se desenham para o futuro, como as estimativas de faturamento, por exemplo.

Por que é importante ter o apoio de um contador?

Considerando a complexidade da legislação, o ideal é que você consulte o seu contador ou até mesmo um advogado especialista em Direito Tributário. Esses profissionais têm experiência e qualificação para analisar cuidadosamente o seu negócio e garantir a melhor opção.

No entanto, para que você possa ter uma ideia de qual regime seria mais interessante, analisando pelo aspecto financeiro, criamos uma ferramenta para que consiga simular e comparar os resultados de cada um dos principais regimes tributários existentes atualmente.

Como é feito o cálculo? 

Depois de baixar a planilha de planejamento tributário, tudo o que você tem a fazer é preencher os dados solicitados na aba “Informações”. A ferramenta vai dar uma estimativa dos resultados que sua empresa teria caso optasse por um dos três regimes!

O cálculo é feito com base nos valores de Receita Bruta, Custo de Mercadorias, Folha de Pagamentos, Encargos Sociais e Outras Despesas. Além disso, ele considera a média das alíquotas segundo o faturamento dentro de um período.

>> Agora que você já sabe como usar nossa planilha de planejamento tributário, aproveite para também manter as demandas do seu IRPF em dia. Clique aqui e baixe nosso e-book completo sobre o assunto!

Conclusão

Depois de acompanhar todas as informações que nós compartilhamos aqui, temos certeza de que a planilha de planejamento tributário será ainda mais valiosa para guiar o cumprimento das obrigações da sua empresa. 

Ao longo do conteúdo, você pôde conferir as principais particularidades dos regimes de Lucro Real, Presumido e Simples Nacional, entendeu melhor o que define um bom planejamento de tributação e descobriu como escolher o formato mais adequado para o seu negócio. 
Neste ponto do artigo, você certamente já baixou nossa planilha de planejamento tributário. Agora, só falta garantir as ferramentas mais completas para cuidar dos controles da sua empresa: clique aqui e assine o seu plano no Pacote Office 365 com o UOL Meu Negócio!

Related posts
MateriaisSoluções

Cloud Computing: como trazer sua empresa para a nuvem?

2 Mins read
O Cloud Computing não se tornou uma das maiores tendências em tecnologia à toa. Ele pode gerar inúmeros benefícios para a sua…
Materiais

Guia para vender no Instagram: como divulgar meu negócio?

1 Mins read
Empreendedorismo

Planilha de fluxo de caixa: conheça suas vantagens e como utilizá-la!

5 Mins read
Você já ouviu falar na importância de ter uma planilha de fluxo de caixa?  Apesar de muitos já conhecerem, ainda existem algumas…