EmpreendedorismoGestão de FinançasPlanejamento

Quer expandir seu negócio? Saiba o que não pode faltar no seu planejamento

3 Mins read

Você já sabe que começar um negócio próprio não é tarefa para qualquer um. Mas, mais do que isso, manter a empresa funcionando em seus primeiros anos, depois do pontapé inicial, é missão para poucos.

Um estudo realizado pelo Sebrae-SP, em julho de 2014, sobre a mortalidade das empresas nos primeiros cinco anos de vida, mostra que boa parte dos motivos que levam uma micro ou pequena empresa a fechar as portas está diretamente ligada à falta de planejamento.

Mais de 50% dessas empresas que não perduraram, não realizaram planejamento de itens básicos de uma empresa, como capital de giro, aspectos legais de um negócio, número de concorrentes e qualificação e gestão de mão de obra.

“Não há uma fórmula certeira para criar um planejamento estratégico. Cada empresa deve avaliar seus recursos e necessidades. Contudo, é importante que qualquer plano estratégico de uma empresa respeite as seguintes etapas”, enumera Diego Simioni, sócio-fundador da GOAKIRA consultoria, especialista em planejamento e finanças.

Se você acredita que tem potencial para ir mais longe com seu negócio, saiba quais são essas etapas que não podem faltar no seu planejamento de expansão:

Sua empresa está mesmo preparada?

Nesse momento, você deve levantar uma série de questionamentos. Aqui, uma pergunta puxa a outra:

  • Você tem certeza de que seu negócio oferece produtos e serviços de qualidade?

Para respondê-la, veja se você já possui uma lista grande de clientes que sempre retornam à sua loja. Em caso positivo: sim, você faz um bom trabalho e pode oferecer muito mais e atingir mais pessoas.

Agora, você precisa estabelecer metas compatíveis com sua realidade, como dobrar o faturamento anual e o número de clientes.

  • Como vou alcançar essas metas?

Contratar mais profissionais, investir em tecnologia ou captar recursos de terceiros são algumas medidas que podem ser tomadas.

Respondidas as perguntas, você percebeu que a estratégia é viável. Pronto, vamos para a próxima etapa.


banner_uolmn_lojavirtuol_academia

Faça uma autoanálise

Reconhecer os pontos fracos e fortes é uma virtude dos grandes empresários. É claro que a sua empresa tem falhas − todas têm − a ser corrigidas e aspectos positivos a ser valorizados. Que tal colocar todas suas forças e fraquezas no papel? Assim, você estará construindo a Análise SWOT da sua empresa. 

⇒Veja no Superguia Academia UOL Meu negócio – Prepare sua loja para decolar, como construir a Análise SWOT de sua empresa.

Faça essa análise e vai conseguir enxergar melhor alguns pontos que precisam ser melhorados, os cuidados que devem ser tomados e identificar elementos-chave para a gestão de sua empresa, o que implica estabelecer prioridades de atuação.

Por exemplo, sua empresa tem preços melhores que os do concorrente, mas não sabe atender de forma qualificada o público. Preço é força, já atendimento é fraqueza.

É importante, também, analisar as influências externas: absorção de novas tecnologias e redução de demanda no mercado são pontos que podem ajudar ou atrapalhar a expansão dos seus negócios.

Douglas Tadeu Carvalho, diretor comercial da PME Inova Consultoria e Treinamento, sugere que a Análise SWOT seja feita por pessoas de diversas áreas e, para isso, o empreendedor precisa estar aberto a ouvir críticas e sugestões, assim como todas as etapas do planejamento.

“Em todo processo de planejamento é uma boa opção contar com alguém de fora da empresa. Essa pessoa externa pode auxilia na estratégia e lida com os processos de forma menos emocional”, aconselha Carvalho.

Acompanhe o desempenho de sua empresa

Além de traçar metas, é preciso criar um sistema para acompanhar os resultados. Assim, se eles estão abaixo do esperado, logo no início, fica mais fácil para mexer os pauzinhos e encontrar um novo caminho.

A metodologia OKR (Objectives and Key Results) é um desses sistemas para medir o desempenho da sua empresa. E ele é bem simples: trace objetivos ambiciosos, alcançáveis e mensuráveis com porcentagem ou valores monetários.

Defina, no máximo, cinco objetivos macros a cada trimestre. Por exemplo, aumentar o número de clientes, dobrar o faturamento, aumentar as opções de portfólio de produtos.

Por fim, dê nota de 0 a 1 para cada resultado. A média entre 0,6 e 0,7 dos objetivos já é considerada bem satisfatória. Notas abaixo disso precisam de outras opções, enquanto uma nota 1 significa que a meta precisava ser mais ambiciosa. Sim, atingir a nota máxima não é um bom indicativo. Isso porque se você, em três meses, atingiu o objetivo completamente, ele não era algo tão ambicioso.

Planejando bem, conhecendo os pontos fortes e fracos da sua empresa e do mercado e medindo seus resultados com periodicidade, você tem mais chances de crescer e se consolidar no mercado.

Acesse o Superguia Academia UOL Meu negócio – Prepare sua loja para decolar e conheça outras técnicas e dicas de planejamento que farão sua empresa crescer de forma estruturada. 

Related posts
Empreendedorismo

Planilha de fluxo de caixa: conheça suas vantagens e como utilizá-la!

5 Mins read
Você já ouviu falar na importância de ter uma planilha de fluxo de caixa?  Apesar de muitos já conhecerem, ainda existem algumas…
EmpreendedorismoGestão de Finanças

MEI vs Imposto de Renda: quando é preciso declarar?

5 Mins read
Quando o assunto é Imposto de Renda e o MEI é normal que haja dúvidas referente aos temas. Afinal, a declaração pode…
Empreendedorismo

Como contornar a alta do combustível no seu negócio?

6 Mins read
A alta do combustível é um dos temas que mais preocupam os brasileiros atualmente. Além do peso no bolso do consumidor para…