4 vantagens de integrar sua loja virtual a um marketplace

4 vantagens de integrar sua loja virtual a um marketplace

Espaço virtual que agrega mais de uma loja é estratégia interessante para pequenos e-commerces

Quantas lojas dentro de um mesmo shopping são conhecidas por você e quantas outras das quais você nunca ouviu falar o nome? Isso é absolutamente normal, os shopping centers são, justamente, espaços que agregam diversas marcas, famosas ou não.

Trazendo essa perspectiva para o mundo virtual, encontramos os marketplaces, que são sites de vendas que agregam diferentes marcas ou até mesmo vendedores individuais, que aproveitam o grande tráfego de visitantes para comercializar seus produtos.

Essa história começou lá atrás, com a Amazon. Visando a aumentar a oferta de produtos, o gigante do comércio eletrônico mundial, desde novembro de 2000, cede espaço em seu site para que terceiros possam vender suas mercadorias. Em troca, a Amazon ganha uma comissão a cada venda. A ideia deu tão certo que, atualmente, a varejista oferece mais de 5 bilhões de produtos dos mais variados segmentos.

 Leia também: As lições que você pode aprender com Jeff Bezos e a Amazon

Para se ter uma ideia, segundo a própria empresa, o marketplace faturou 43 bilhões de dólares, ou seja, 48% de sua receita em 2014. Hoje em dia, é praticamente impossível uma loja virtual, nos Estados Unidos, sobreviver sem estar integrada à Amazon.

No Brasil, a Cnova, em 2013, transformou o site Extra.com em um marketplace. A iniciativa foi seguida pela B2W com o marketplace do Submarino e das Americanas e pelo Walmart. De acordo com dados da consultoria E-bit, as vendas realizadas em marketplaces representam 30% dos pedidos no e-commerce brasileiro.

Do ponto de vista dos micro e pequenos lojistas virtuais, também existem muitas vantagens (e cuidados) ao se integrar a um marketplace. Confira quais são elas abaixo:

1. Visibilidade

Como existem muitas empresas falsas no comércio eletrônico, a maioria dos usuários prefere comprar produtos online em lojas já consolidadas no mercado. Sabendo disso, colocar seus produtos à venda em sites de grande porte é ter certeza de que eles serão vistos por milhares de pessoas e, mais do que isso, vendidos. Não é raro usuários comprarem produtos de terceiros pensando que são de uma única loja.

2. Mais vendas

Uma loja virtual, principalmente se for pequena, não pode apostar todas as suas fichas em sua própria plataforma. É preciso ir além e pensar em novos canais de vendas.

Aqui, entram em cena os marketplaces democráticos, que estão abertos a quem quiser se inscrever, como o MercadoLivre, Enjoei e Elo7. O raciocínio é simples: quanto mais seus produtos forem expostos ao público, suas chances de vendê-los aumentam consideravelmente.

Nesse ponto, quem é cliente da Loja Virtual do UOL sai em vantagem. Isso porque a plataforma facilita a integração com o MercadoLivre, o maior site de compras e vendas da América Latina, com mais de 120 milhões de usuários cadastrados.

 Aproveite e baixe o e-book grátis: Passo a passo para criar sua loja virtual no UOL

Para aproveitar essa integração, você deve criar uma conta gratuita no MercadoLivre e ativar a funcionalidade na sua Loja Virtual UOL. No painel administrativo você consegue publicar seus produtos também na plataforma de compras e vendas.

3. Relevância em SEO

A partir do momento em que seus produtos ficam mais acessíveis aos usuários no marketplace, sua loja ganha, por tabela, mais relevância em SEO, tendo mais chance de se destacar nos resultados dos sites de busca.

4. Economia

Quando você expõe seus produtos em um marketplace para aproveitar o grande volume de tráfego, pode significar, também, que seus gastos com marketing e mídia diminuam sensivelmente, uma vez que o próprio marketplace investe para levar visitantes até lá. A economia se estende para questões de tecnologia, sistemas de pagamento e segurança antifraude.

Cuidados

Entre tantas vantagens, você deve ficar atento a alguns detalhes antes de integrar sua loja virtual a um marketplace. Em primeiro lugar, descubra quanto cada marketplace cobra de seus parceiros. Normalmente, a taxa de comissão varia entre 10% e 25% pela venda de cada produto.

Com essa informação, você deve precificar seu portfólio de produtos de modo que eles continuem tendo uma margem de lucro para bancar essa operação.

Outra questão que você deve observar é se o público-alvo de determinado marketplace tem interesse em seus produtos. Não dá nem para imaginar uma loja voltada para o público C e D alugando um espaço em um shopping em bairro nobre, né? O raciocínio serve também para o e-commerce.

De fato, o marketplace pode beneficiar todos os envolvidos, inclusive os consumidores, que ganham mais ofertas de produtos. Então, estude bem todos os pontos apresentados e selecione um bom marketplace para a sua loja virtual se integrar!