O que podemos aprender com os erros e acertos (dos outros) na Black Friday

O que podemos aprender com os erros e acertos (dos outros) na Black Friday

Veja o que fazer e o que não fazer para ter sucesso na liquidação!

Mesmo não sendo uma tradição nacional, a Black Friday é um fenômeno de vendas e um grande evento para o varejo. A sexta-feira de liquidação, que acontece desde os anos 1990 nos Estados Unidos, chegou por aqui em 2010 e não fez muito barulho.

Entretanto, a cada nova edição, a Black Friday foi conquistando os brasileiros, e hoje é uma das datas mais esperadas pelos consumidores. Em 2019, a data movimentou 3,2 bilhões de reais, segundo a consultoria Ebit, uma alta de 23,6% em relação ao ano anterior. 

Baixe e-book grátis: Black Friday: Guia definitivo para turbinar suas vendas
no período

Empolgou-se? Mas antes de entrar de cabeça nessa grande festa, é preciso tomar alguns cuidados para o tiro não sair pela culatra. E qual é a melhor forma de aprender se não com os erros e acertos de outras empresas, não é mesmo?

Por isso, separamos algumas histórias de sucesso e fracasso de lojas virtuais durante a Black Friday e algumas lições que elas podem trazer para você. Confira:

Logística Mercado Livre

Mesmo sendo um marketplace, o Mercado Livre conseguiu mostrar
para o público e para o resto do mercado que também poderia participar de ações
de varejo, como a Black Friday. 

O site registra cerca de seis mil buscas e nove vendas por segundo, onde mais de 111 mil pessoas vivem de renda única ou principal, proveniente do Mercado Livre. No país temos 15.480 vendedores com faturamento que permite sustentar 98.648 postos de
trabalho.

Com a pandemia e o crescimento nas vendas, porém, coincidiu com uma greve dos Correios, um dos principais serviços de logística do país. Oito a cada dez varejistas online de pequeno e médio porte dependem dos Correios como fonte principal dos fretes aos clientes. 

No Mercado Livre, o serviço estatal era responsável por mais de 50% das
entregas.

Leia também: 4 vantagens de integrar sua loja virtual a um marketplace

Foi então que o Mercado Envios, já existente desde 2013, recebeu diversos investimentos e abriu novos centros de distribuição.

No Mercado Livre, 75% dos produtos que já estão nos centros de distribuição são entregues em até 48 horas. E, para manter o padrão e até elevar o nível de serviço, estão realizando entregas aos sábados e domingos.

O que podemos aprender: a logística é um dos principais pilares de uma loja virtual. Na Black Friday, onde a tendência é o volume de vendas aumentar, fazer um planejamento da logística e o fluxo de entregas com antecedência é fundamental.

A negociação destes fretes também é necessária, visto que não podem sobrepor ou impedir a realização de uma venda por conta de custo.

Antecipação e parcelamento Casas Bahia e Ponto Frio

A Black Friday 2020 começará na sexta-feira (23) para a Via Varejo, e não em 27 de novembro, que é a data oficial.

As Casas Bahia e o Ponto Frio terão 40 dias de ofertas e condições especiais de pagamento, com parcelamento em até 30 vezes sem juros para quem usar os cartões das Casas Bahia e Ponto Frio. Os consumidores ainda poderão usufruir de frete grátis e entregas em até 24 horas.

 O que podemos aprender: antecipar e oferecer condições que facilitem ainda mais o pagamento, como parcelamento e frete grátis, ajudam e muito o consumidor a se

planejar e adquirir o que deseja nesta data tão aguardada, que é a Black Friday.

Multiplataformas Netshoes

A Netshoes vem repetindo há alguns anos a estratégia de caprichar na divulgação em vídeos e oferecer promoções durante todo o mês de novembro (uma campanha que recebeu o nome de Black November) e que culminava na Black Friday.

Com isso, a empresa conseguiu conquistar um aumento nas vendas bastante significativo, segundo dados divulgados pela marca.

O fato de a Netshoes também apostar nas compras mobile deu muito certo. A empresa ofereceu a possibilidade de comprar por meio do seu aplicativo sem gastar a
internet do celular, o que fez com que os pedidos por dispositivos móveis
crescessem 464%.

O que podemos aprender: Estar onde o público está, esse foi o segredo do sucesso da Netshoes. A empresa mirou no consumidor que compra, também, por dispositivos móveis e se deu bem. Além disso, apostar na divulgação no YouTube fez toda a diferença para o sucesso. Isso porque os vídeos estão entre os formatos mais consumidos pelos internautas nos últimos tempos.

Leia também: 5 coisas que só um vídeo pode fazer pela sua loja (as
fotos que nos perdoem!)

Preparar um vídeo visualmente atrativo, dinâmico, informativo e com foco em conversão pode ser um trabalho árduo, mas que, acompanhado de muita publicidade e divulgação, certamente vai render ótimos frutos e aumentar seu faturamento em novembro.

 

 

Antecedência Walmart

O Walmart foi uma das primeiras marcas a pensar em Black Friday. O site da loja
incluiu uma caixa de cadastro para quem quiser ficar sabendo das próximas
promoções. No aplicativo da megastore ainda é possível acompanhar, em tempo
real, todas as promoções que vão acontecer.

O que podemos aprender: uma boa campanha começa com antecedência. Embora ainda não esteja nada detalhado, o Walmart já deixa claro que está preparando ofertas interessantes nas próximas Black Fridays, e o cliente já pode ir se preparando para elas.

Se você puder incluir um sistema de cadastro como esse no seu e-commerce, já vai ter noção de quantas pessoas estão interessadas em aproveitar a Black Friday para comprar na sua loja. 

Com o cadastro delas no seu banco de dados, você pode, ainda, enviar
promoções e até fazer uma enquete para saber quais são os produtos que elas

estão mais ansiosas para comprar. 

Site instável Best Buy

Há alguns anos atrás, a Best Buy, empresa de eletrônicos muito popular na América do Norte, passou por maus bocados. O servidor da loja online não conseguiu aguentar o número de visitas e a empresa foi obrigada a tirar o site do ar por várias horas.

Como consequência, muitos consumidores ficaram irritados e a companhia perdeu muitas vendas.

 O que podemos aprender: é bem provável que haja um pico significativo de acessos ao site durante a Black Friday, e você tem de assegurar que seu e-commerce será capaz de continuar online. Usar sistemas de hospedagem em que você pode contratar recursos adicionais durante esse tipo de evento é uma ótima ideia para diminuir os riscos de um site fora do ar.

Leia tambémPor que você deve adotar o servidor na nuvem durante a Black Friday

É importante que as empresas saibam se preparar para evitar problemas de tráfego e também extrair o máximo desta data. Como essa data é famosa por derrubar sites e servidores, a primeira coisa a fazer é garantir que a plataforma possa aguentar o volume de acessos.

Também vale a pena testar, de preferência mais de uma vez, todos os processos do seu site, desde a escolha dos produtos até a finalização de pagamento, para saber se tudo está funcionando como deveria. Durante as horas da Black Friday, a última coisa que você quer é um site com problemas e vendas sendo perdidas.

Produtos indisponíveis e preços errados KABUM!

A Kabum!, loja virtual de tecnologia bastante conhecida e querida pelos usuários, sofreu bastante críticas na Black Friday e acabou se tornando a marca com mais reclamações por parte dos consumidores, segundo o Reclame Aqui.

A maioria das reclamações era sobre a instabilidade do site, falta de atualização dos números do estoque (que levavam o consumidor a colocar no carrinho produtos que já não estavam mais disponíveis) e a exibição de itens em promoção que, na verdade, estavam com preço normal.

Leia também: 5 lições que você pode aprender com casos reais do ReclameAqui

A lista das lojas com mais reclamações foi amplamente divulgada, o que prejudicou a imagem da marca e fez com que alguns consumidores ficassem receosos em comprar na loja.

O que podemos aprender: as ações de Black Friday precisam ser muito bem alinhadas para que todos os preços sejam divulgados corretamente. Mesmo que o erro de anunciar um produto em uma rede social por 49,99 reais e no site ele custe 499,90 reais não tenha sido intencional, isso irrita o consumidor e faz com que ele saia espalhando sua frustração por aí.

estoque também precisa estar constantemente atualizado, e um produto deve ser retirado do site após a última unidade ter sido vendida para evitar constrangimentos e reclamações.

 

Conclusão

A Black Friday pode funcionar com uma catapulta para o seu negócio, não só por aumentar drasticamente as vendas, mas por trazer reconhecimento para a marca. Ela tanto atrai novos consumidores, que descobrem sua loja durante a campanha de promoções, como é uma ótima oportunidade para converter pessoas que já estavam namorando seus produtos, mas ainda não tinham fechado a compra.

Entretanto, quanto maior a visibilidade, mais a sua loja fica exposta, e isso inclui pontos fortes e fracos. Se você tem uma deficiência no atendimento e logística, por exemplo, pode ter certeza de que isso vai se acentuar durante a Black Friday.

Não deixe de ler: Como vender mais na Black Friday? Nós temos a resposta!

Para não passar por uma situação ruim e acabar prejudicando a imagem da sua marca, é muito importante fazer um planejamento cuidadoso, que envolva e mobilize todos os setores do negócio, como atendimento, TI, logística, administração e marketing. Se tudo não estiver perfeitamente alinhado, você pode se ver em uma situação bem complicada.

Em contrapartida, fazendo um bom trabalho de planejamento estratégico e contando com uma equipe dedicada, você tem a faca e o queijo na mão!

O mais importante, na sequência, é caprichar nas ferramentas de marketing que se comunicam bem com o seu público. Elas, provavelmente, vão te render bons frutos durante a Black Friday.

E claro, vale mencionar, que você não pode cair na roubada de fazer o dobro pela metade. O consumidor não é bobo e existem várias ferramentas de monitoramento de preços e canais de comunicação que, rapidamente, descobrem e denunciam quem age de má-fé nesta data.

Por isso, não arrisque sua reputação, capriche no planejamento e na divulgação e ótimas vendas!