04 dicas para organizar o financeiro do seu negócio

04 dicas para organizar o financeiro do seu negócio

Organizar o financeiro de uma empresa é um verdadeiro desafio para os empreendedores. Ainda mais quando a maioria das pessoas não possuem educação financeira. 

Mas, é sim possível administrar e garantir a saúde financeira do seu negócio em todas as áreas. Para isso, separamos neste artigo quatro dicas simples para você criar o planejamento financeiro e obter sucesso!

Como organizar o financeiro de uma empresa

1. Separe o dinheiro da empresa e do pessoal

Pense em sua empresa como se fosse uma pessoa: do que ela precisa? Como pode se manter para arcar com suas despesas? Assim, existem as despesas pessoais e as da empresa, ambas não devem se misturar. 

A empresa precisa ter o chamado capital de giro. Trata-se de um dinheiro reservado para investir novamente no seu negócio, seja para comprar mercadorias, pagar fornecedores e adquirir novos insumos para continuar operando. 

Primeiramente, faça um diagnóstico das finanças gerais da sua empresa, chamados também de custos, como:

  • Contas de água, luz e aluguel (caso você trabalhe em um espaço físico)
  • Pagamento de fornecedores
  • Hospedagem de site ou loja virtual
  • Honorários de contador
  • Gastos com internet
  • Materiais de escritório, entre outras coisas. 

Depois de saber exatamente quais são os gastos mensais da sua empresa, é hora de fazer o mesmo com as despesas pessoais, tais como: 

  • Fatura de cartão de crédito
  • Financiamentos
  • Compras de supermercado
  • Contas de água, luz e aluguel de onde você mora e etc.

E o lucro? Bom, ele deve ser retirado após descontar as despesas e capital de giro, ou seja, o que sobrar no final, é o lucro.

Custo x Despesa

Você reparou que mencionamos as palavras custo e despesa? Aparentemente parecem ser a mesma coisa, mas não são. Confira a diferença entre elas:

  • Despesa: é todo gasto necessário para as pessoas se manterem, resultante de uma receita (sustento, ganhos obtidos por meio da venda de produtos e serviços da empresa). 

Ela pode ser fixa (gastos que não mudam o seu valor mês a mês, tais como aluguel, telefone, assinaturas e etc) ou variável (gastos que podem alterar o seu valor ao longo dos meses, por exemplo, contas de luz, água, faturas de cartão e etc). 

  • Custo: é o valor pago para produzir bens ou serviços. Tais como o uso de matéria-prima, energia elétrica, embalagens, materiais de conservação e limpeza, manutenções, mão-de-obra e etc.

Quando um empreendedor compra materiais para criar os seus produtos, então esses gastos são os custos de sua empresa. Se ele faz compras no cartão de crédito em lojas de roupas, esses gastos são despesas. 

2. Controle as entradas e saídas 

As entradas são todos os ganhos, os valores em reais que entram no caixa da sua empresa. Aqui entram os pagamentos dos clientes e outras receitas que geram lucro. 

Já as saídas são os pagamentos de contas da empresa, compras de materiais, gastos com internet, impostos obrigatórios e etc. 

Entendendo a diferença entre a entrada e a saída de dinheiro do caixa, fica mais fácil controlar os gastos e entender como organizar o financeiro de uma empresa.  

No dia a dia, você pode lançar mão de um caderno, aplicativo de celular ou mesmo uma planilha no Excel para fazer o controle de entrada e saída de dinheiro da empresa, pois na correria muitas vezes não nos damos conta do que está sendo pago ou mesmo quais clientes pagaram.  Para isso, preste atenção em alguns detalhes:

  • Liste as contas que precisam ser pagas durante aquela semana ou mês
  • Planeje os valores a serem recebidos dos clientes, dependendo da forma de pagamento combinada com eles
  • Anote os gastos sazonais, aqueles que não são feitos com frequência como por exemplo, manutenções no seu carro ou em equipamentos de trabalho, algum imprevisto com a sua saúde (não deixe de cuidar dessa parte também) e até mesmo taxas bancárias.

3. Diferencie lucro, de caixa

O lucro, como já mencionamos acima, é o resultado da produção e venda dos produtos e serviços da sua empresa. O caixa, por sua vez, corresponde a quantidade de recursos financeiros extraídos do seu negócio para criar produtos e prestar serviços.

Para te ajudar a fazer esse controle, clique aqui para baixar uma planilha de fluxo de caixa diário prontinho para você começar a usar! E o melhor: é de graça!

4. Planeje as datas de pagamento de fornecedores e recebimento

As contas não deixam de chegar, não é mesmo? Todos os meses elas batem à nossa porta e não nos dão folga. 

Sabendo disso, é muito importante que os empreendedores incluam esse compromisso no planejamento do financeiro de uma empresa.

  • Deve-se planejar (de preferência no início do mês) os pagamentos que precisam ser feitos aos fornecedores
  • As contas fixas da empresa também devem ser lembradas (impostos, gastos com manutenção e aquelas que garantem o funcionamento do negócio, seja ele físico ou virtual)
  • É possível economizar nos serviços que você usa para trabalhar, como por exemplo, reveja se o seu plano de internet está sendo gasto e cobrado corretamente
  • O mesmo pode ser dito com relação às contas de água e de luz, já que é possível economizar a energia e o gasto de água para pagar mais barato.
  • Que tal valorizar os seus produtos e serviços e reajustar os preços? Clique aqui e veja como fazer isso da forma correta.  

Conclusão

Após aplicar essas quatro dicas em seu negócio, com certeza você terá muito mais motivos para desejar que a sua empresa cresça! 

Estabeleça metas a curto, médio e longo prazo, tenha objetivos claros para a sua empresa. É comum alguns empreendedores pensarem que não necessitam criar metas, pois possuem um negócio pequeno que ainda está começando.

Mas, não precisa ser assim! As metas a curto prazo podem ser organizadas para daqui a três meses. Já as de médio prazo para os próximos dois ou três anos e as de longo prazo para daqui a cinco ou dez anos.

  • Quanto você quer vender nos próximos meses?
  • O que os concorrentes estão fazendo que você gostaria de aplicar em seu negócio?
  • No lado pessoal, quais são os seus sonhos? Comprar uma casa própria, quitar o carro ou fazer uma reserva de emergência?

Esses são só alguns exemplos de metas para inspirar o seu espírito empreendedor a agir. Deixe a criatividade fluir e coloque tudo no papel!