Como migrar do varejo físico para o varejo digital

Como migrar do varejo físico para o varejo digital

No Brasil e no mundo, a pandemia do novo Coronavírus criou uma nova realidade, mudando completamente os nossos hábitos cotidianos, a nossa forma de trabalhar, de se comunicar e até mesmo de vender.

Antigos padrões de compra mudaram devido ao isolamento, e graças à tecnologia e aos aplicativos de economia compartilhada, as pessoas têm optado por adquirir produtos e serviços por meio da internet, acelerando a transformação digital.

Com a maioria das lojas físicas fechadas e com os consumidores dependentes das compras online para terem acesso aos produtos que desejam, muitos varejistas estão tentando acelerar o processo de migração para o virtual.

 

 

Essa mudança impactou diretamente os negócios. Se antes ter uma presença online era um diferencial, agora ela se tornou essencial. Muitas empresas se viram obrigadas a acelerar esse processo e buscar alternativas.

As vendas no comércio eletrônico têm aumentado ano a ano, e a expectativa que se tinha no Brasil antes da pandemia, é que 2020 teria um crescimento de 40% em relação ao ano anterior.

No entanto, devido ao cenário atual, somente em abril deste, o comércio eletrônico brasileiro já apresentava crescimento de 80% comparado ao mesmo período do ano anterior e cerca de 1 milhão de novos consumidores online desde o início da pandemia.

O varejo físico está migrando para o varejo digital, não para substituí-lo, mas para oferecer um outro canal aos clientes. Quanto mais prestarmos atenção ao comportamento dos usuários, mais condições teremos de atendê-los.

Como fazer a migração de uma loja física para a digital

Muitas empresas têm buscado o meio online para venderem seus produtos e serviços e continuarem próximas de seus clientes.

Primeiramente, é importante que você entenda o perfil e comportamento do seu cliente e estude as diversas oportunidades que as plataformas oferecem para que o seu negócio tenha uma presença online. 

Ter um site, um domínio e um e-mail profissional dará mais credibilidade ao seu negócio e permitirá que você apresente todos os produtos e serviços que você oferece, além de abrir um canal de relacionamento com o seu cliente. 

Além disso, é importante também utilizar as redes sociais, como Instagram e Facebook, como um canal para postar as novidades do seu negócio e manter o engajamento com os seus clientes, e o WhatsApp para manter um  relacionamento mais próximo a eles.

Além disso, para construção do seu negócio virtual, é importante levantar algumas premissas e elaborar um planejamento estratégico para ter sucesso na implantação.

 Confira 6 etapas para começar sua migração para o mundo digital:

      1. Defina seu modelo de negócio;

      2. Estude como sua concorrência se comporta;

      3. Avalie qual o perfil e comportamento dos seus clientes;

      4. Faça um planejamento de marketing digital;

      5. Implante uma logística vencedora;

      6. Defina metas e acompanhe os resultados.

 

    1.  Defina seu modelo de negócio

Você já sabe o que irá vender na internet, se serão produtos ou serviços. Entendendo o seu público e o que ele busca, você possui alguns modelos de negócio online que iremos explicar abaixo e lhe ajudar a entender qual se encaixa melhor ao seu negócio.

Se você deseja vender apenas um produto ou serviço e não precisa de um sistema para gerenciar clientes, pedidos e estoque, um site é o ideal para apresentar o seu negócio.

 Baixe grátis: Como criar um site para sua empresa

Agora, se além de apresentar o seu negócio, você quer vender os seus produtos diretamente pela internet, então você precisa de uma plataforma de loja virtual.

 Baixe grátis: Como iniciar ou expandir seu negócio com uma loja virtual

2.  Estude como sua concorrência se comporta

Seus principais concorrentes podem ser tanto lojas virtuais de nicho como a sua, como grandes lojas de departamentos.

Para mapear a concorrência, é interessante checar quais sites alcançam os posicionamentos nas primeiras páginas do Google para as principais palavras-chave úteis ao seu negócio.

Entendendo sua concorrência, é importante ver como eles trabalham, começando a análise pelo layout do site até o contato com o consumidor.

Realize pesquisas como se você fosse o consumidor, fazendo perguntas, analisando prazos de entrega e como o site se comporta da primeira entrada até a realização do pagamento.

  Leia também: Passo a passo para fazer um benchmarking e aprender com a concorrência

Observe quais estratégias de marketing a concorrência utiliza, avaliando as redes sociais que anunciam, se possuem algum programa de fidelidade para clientes e o que os torna atrativos aos clientes da sua concorrência.

Não baseie sua estratégia somente em preço! Claro que há diversas ferramentas utilizadas para comparação de preço e você deve ter um balizador para não ficar muito distante da concorrência.

Mas, acima da estratégia de preço, busque se diferenciar da sua concorrência com alguma vantagem competitiva para não prejudicar sua margem de lucro.

 

 Baixe grátis: Planilha para formação de preços de produtos

 

3.  Avalie qual o perfil e comportamento dos seus clientes

Analise quem são seus consumidores atuais. Faça uma lista das suas preferências e procure por padrões no comportamento e nas características.

Busque entender o que os motivam a compra e como eles utilizam o produto, qual a finalidade.

Analisando esses consumidores, você encontrará alguns padrões, que podem ser localização geográfica, o gênero, a faixa etária, as preferências de compra. 

Esses dados ajudarão a segmentar seus clientes e o farão ser mais assertivos nas suas campanhas de marketing.

O consumidor busca uma solução quando reconhece qual problema quer resolver. Buscar compreender esses problemas dará subsídios para se criar ações mais focadas, que atendam às necessidades de cada um deles.

 

    4.  Faça um planejamento de marketing digital

Agora você tem um canal que qualquer pessoa pode acessar e pode usar várias ferramentas para levar todo mundo para o seu e-commerce. Algumas delas são:

 1    E-MAIL MARKETING: esta é uma das

ferramentas que mais geram conversões para os sites de e-commerce. Quando você envia o e-mail marketing certo para a pessoa correta, as chances de garantir as vendas serão maiores.  

2    LINKS PATROCINADOS: nessa opção,

resumidamente, você paga para o seu site aparecer entre os primeiros resultados
nos sites de busca. A vantagem é que seu e-commerce ganhará visibilidade com
muito mais agilidade, podendo aumentar as suas conversões.

 

3. SEO: o SEO consiste em um

conjunto de táticas para aumentar sua visibilidade em buscadores. A ideia é
simples: você identifica quais são os assuntos (ou produtos) que as pessoas
buscam e prepara seu site para aparecer entre os resultados dessas pesquisas.

4    REDES SOCIAIS: estar presente nas redes

sociais vai ajudar na divulgação de sua loja virtual. No entanto, você não
precisa criar uma conta em todas. Pesquise aquelas em que seu público-alvo mais
está e invista nelas.

 

5   IMPLANTE UMA LOGÍSTICA VENCEDORA

Ao comprar um produto pela internet, muitas pessoas desconhecem a quantidade de etapas por onde o pedido passa até chegar na sua casa, principalmente quando se trata de uma loja virtual.

Em uma loja física, a logística acontece de forma mais simplificada, pois os produtos já estão disponíveis no ato da compra. No varejo online, a operação é toda virtual, portanto é essencial que além de realizar um bom controle de estoque, o processo logístico aconteça de forma organizada e harmoniosa.

Após confirmado o pagamento do pedido pela operadora, uma ordem de separação é enviada para o estoque. Os próximos passos serão separar a mercadoria, dar baixa no estoque, preparar a nota fiscal e encaminhar o pedido para a embalagem.

Nessa etapa, o produto é encaminhado para expedição e segue no transporte rumo ao consumidor.

 Baixe grátis: Passo a passo para implantar uma logística vencedora

 

6.  Acompanhe os resultados do seu varejo digital

O sucesso de uma loja virtual não depende apenas de bons produtos ou uma boa experiência de compra do usuário.

A grande vantagem de um negócio digital, seja um site ou uma loja virtual, é poder medir tudo e entender o que está funcionando e o que não. 

 

Abaixo selecionamos alguns indicadores bem importantes para você implementar no seu varejo digital: 

Taxa de conversão

É o indicador onde comparamos o número de visitantes da loja versus os números de compradores em um determinado período. Para fazer esse cálculo, divida o número de pedidos gerados pelo número de visitantes e multiplique por 100. Exemplo: sua página tem 100 mil visitas e cerca de 5 mil pedidos mensais, temos:

Taxa de conversão = (5.000 /
100.000) × 100 = 5%

Ticket médio

Nos indica qual a média de gastos dos clientes nos pedidos recebidos na loja. Algumas ações ajudam a melhorar o ticket médio:

Venda casada: quando sugerimos produtos complementares à compra que está sendo realizada, para realizar uma venda conjunta;

Promoções: descontos em quantidades ou valores maiores e frete grátis costumam ser ótimos atrativos.

Taxa de abandono de carrinho

O cliente coloca os produtos no carrinho e na hora de pagar abandona a transação. Muitas coisas podem ter motivado esse comportamento, como frete alto, tempo de entrega muito longo, altas taxas em compras parceladas, desconfiança sobre a segurança do site etc.

Um indicador para analisar a taxa de abandono é:

TAC = (total de abandonos /
total de compras iniciadas) × 100.

Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

Esse indicador compara os investimentos em campanhas de marketing com relação à quantidade de cliente que compraram. A fórmula é a seguinte:

CAC = total de investimento
feito na estratégia / número de novos clientes gerados.

Para acompanhar essas informações, é interessante usar o Google Analytics, que dará mais informações de quais ações tiveram mais sucesso, se o cliente veio por tráfego direto, tráfego orgânico, links patrocinados, rede de display, e-mail marketing, redes sociais ou outros. 

Gostou das nossas dicas para migrar seu varejo físico para o varejo digital?

Acompanhe nossas postagens, vídeos e e-books na página Meu Negócio Não Para: uma iniciativa do UOL para apoiar o micro e pequeno empreendedor durante a pandemia.

Semanalmente postamos novidades, dicas de especialistas, produtos gratuitos e muito mais para você aproveitar e testar em sua loja virtual!