Superguia de SEO: SEO on-page

Superguia de SEO: SEO on-page

Agora você já sabe que quando falamos em SEO on-page estamos nos referindo às otimizações que você pode fazer dentro do seu site. Vamos ver, na sequência, quais são essas otimizações e como você pode realizá-las.

SEO On-page: Fatores Técnicos

Vamos começar pelo trabalho de SEO on-page, ou seja, aquele que será feito dentro do site. Em um primeiro momento, vamos nos preocupar com os fatores técnicos, aqueles que o usuário pode não ver diretamente, mas que ajudam a organizar e estruturar seu site, e também são muito importantes para os mecanismos de busca. Vamos a eles.

• Fatores Técnicos de SEO – Title Tag

O primeiro fator técnico que você pode começar a otimizar são as title tags. Esse é um dos itens que têm mais peso quando falamos de SEO on-page e, por isso, é necessário dar muita atenção a ele.

Já falamos que nas SERPs cada resultado é composto de um título, um link e uma breve descrição do que você vai encontrar na página, não é? Pois bem, a title tag de uma página, geralmente, é exibida como título nos resultados de busca.

Como costumamos nos guiar por títulos, mais do que por descrições e links, as title tags têm bastante peso, tanto no ranqueamento quanto na decisão de quem pesquisa, de clicar ou não no seu site. Em outras palavras, uma title tag ruim pode prejudicar seu posicionamento e impedir que alguém clique no seu site.

É bem comum que os buscadores deem preferência a páginas que tenham a palavra-chave pesquisada na title. Por isso, uma boa dica é incluir a palavra-chave quando for otimizar a title tag.

Dica – Como visualizar a title tag?

  • Geralmente, a title aparece como o nome da aba em que você está. Experimente abrir seu navegador e entrar em seu site. O texto que aparecer no título da aba é o seu title.

 

Escolhendo a title tag

Na hora de criar sua title tag lembre-se que:

  • • É importante usar a palavra-chave.
    • Não repita a palavra-chave de modo não natural, os robôs percebem isso.
    • Um bom título deve ter entre 50 e 60 caracteres.
    • Se o nome da sua empresa não for importante para a decisão do clique,
    coloque-o no final.
    • Crie um título persuasivo e que responda a uma dúvida ou problema.
    • O conteúdo da página deve entregar o que a title tag promete.
    • Crie uma title tag diferente para cada página, não repetindo nenhuma
 

• Fatores Técnicos de SEO – Meta Description

Nas SERPs, logo abaixo do link, há uma descrição da página. Essa é a meta description. A função dela é oferecer a quem pesquisa um breve resumo sobre o que vai encontrar na página. Muitos sites não têm esse fator otimizado, e ele é extremamente importante, porque é feito apenas para aparecer nos mecanismos de busca, para convencer o visitante de que esta é a página que ele procura. Uma vez que ele entra no site, não vê mais a meta description. Apesar de não ser realmente um fator de rankeamento, a meta description pode te ajudar a ganhar cliques.

5 mandamentos para criar uma boa meta description

  • • Crie uma meta description diferente para cada página, não repetindo
    nenhuma.
    • Resuma o conteúdo da página em até 156 caracteres.
    • Produza um texto persuasivo e que incentive o clique.
    • Busque introduzir a palavra-chave na meta description.
    • Seja direto e honesto sobre o conteúdo da página.
 

• Fatores Técnicos de SEO – H1, H2, H3, H4, H5 e H6

Na construção de uma página, e até de um post em um blog, utilizamos no texto alguns recursos para destacar títulos e subtítulos com o intuito de organizar melhor a página e tornar a leitura mais agradável e fluida. E os motores de busca privilegiam muito os sites que dão uma boa experiência ao usuário.

Um dos recursos mais utilizados, e que recebe grande atenção dos buscadores quando o assunto é SEO, são as tag headings. São marcações de HTML que fazemos para identificar quais elementos em um texto são título e subtítulos. São seis tag headings, H1, H2, H3, H4, H5 e H6, e elas seguem uma hierarquia de relevância, onde H1 geralmente é o título principal e a informação mais importante; H2 é o primeiro subtítulo; seguido H3 e por aí vai. Dessa forma, H2 é mais abrangente que H3; H3 é mais abrangente que H4 etc.

 
Gráfico 2 Modelo CPA
 

Se você estivesse fazendo um artigo sobre pizzas, ele poderia seguir a seguinte estrutura:

[H1] As pizzas mais famosas no Brasil
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

[H2] Marguerita
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

[H3] Como fazer
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

[H2] Calabresa
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

[H3] Como fazer
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

[H2] Marguerita
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

[H3] Como fazer
Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

Pode parecer algo bem simples, mas tem grande importância no SEO, uma vez que, quando os robôs lerem sua página vão perceber que ela está bem organizada e entender o que você considera mais importante. Isso faz toda a diferença para quem lê e também pode influenciar no seu ranqueamento.

 

• Fatores Técnicos de SEO – Imagens com Alt e Title

Os robôs dos buscadores leem apenas conteúdo em texto, então, como eles veem as imagens? Aí é que está o problema, eles não veem. Apesar disso, as imagens também são ferramentas eficientes para provar sua relevância e conseguir um ranqueamento melhor, afinal, quem nunca fez uma pesquisa e selecionou a aba de “imagens” do Google, não é?

Mas se eles não leem as imagens, como decidem quais delas aparecem nos resultados de busca? Sites otimizados para SEO se preocupam em colocar tags nos arquivos das imagens que transmitam para os robôs o que elas estão mostrando. As mais importantes são as tag alt e title.

A tag alt serve para dar um nome a sua imagem, caso ela não seja carregada por algum motivo, e dizer aos robôs o que ela representa. A title de uma imagem funciona como um complemento para alt, onde se pode acrescentar mais alguma informação.

 
fatia de pizza marguerita sendo cortada
 
fatia de pizza marguerita sendo cortada
 

Palavra de especialista

Douglas Faria, cofundador da Assoweb

“Quem trabalha com CMS, como o WordPress, tem a possibilidade de administrar boa parte de SEO on-page por meio de recursos da própria plataforma e de plugins que melhoram muito seu posicionamento.”

Douglas Faria, cofundador da Assoweb

 

Dica

  • Antes de subir as imagens no site, coloque nelas um nome que faça sentido. Isso também pode colaborar para a identificação da imagem. Se for usar mais de uma palavra, separe os termos com hífen, por exemplo “pizza-marguerita”.
 

• Fatores Técnicos de SEO – URL

Quando se fala em SEO, é preciso analisar todos os aspectos do site, e um deles é a URL ou o endereço. Nesse sentido, muito se fala de ter uma URL amigável, mas o que isso significa?

Uma URL amigável ao SEO é aquela que é bem organizada e facilita a vida do visitante e, portanto, também a do robô.

Vamos tomar como exemplo um e-commerce. É muito comum que uma loja virtual seja cheia de produtos e, consequentemente, de páginas. Algumas vezes, quando criamos uma página, é atribuída a ela uma URL automática, mas que não faz nenhum sentido para quem lê. O que você deve fazer é garantir que todas as URLs relacionadas ao seu site sejam coerentes e traduzam o que a página contém.

Isso quer dizer que, em vez de a página de formas para pizza se chamar

www.pizzadelicia.com.br/peOS8bKkIaV?opn=YSMESP, ela deve ser www.pizzadelicia.com.br/formas-para-pizza

 

Palavra de especialista

Douglas Faria, cofundador da Assoweb
“Houve um tempo em que as pessoas achavam que se comprassem domínios com o nome da palavra-chave podiam sair na frente no SEO, e até conseguiam. Mas hoje esse não é um fator tão importante.”

Douglas Faria, cofundador da Assoweb

 

• Fatores Técnicos de SEO – Velocidade do Site

Como falamos antes, a velocidade do site é um dos fatores que mais têm chamado a atenção dos buscadores. Se o seu site demora muito para abrir ou carregar as páginas internas, o visitante dificilmente vai ficar para ver o que você tem a oferecer.

E se atrapalha a experiência do usuário, prejudica o seu posicionamento nas SERPs. Mas, então, qual é o segredo para não ter um site lento?

A primeira providência que você deve tomar é escolher uma boa hospedagem, antes mesmo de começar a construção do seu site. Verifique muito bem quais são as características do plano de hospedagem que você está considerando e certifique-se de que isso será o suficiente para seu site. Não se esqueça que quanto mais conteúdo e visitas você tiver, melhor terá de ser o desempenho da sua hospedagem.

Mas se você já tem uma hospedagem que não está dando conta do recado, não tem problema, você sempre pode migrar de hospedagem ou fazer um upgrade nos recursos que já possui.

 

Palavra de especialista

Bruno Souza, Web Performance Engineer na Web Absoluta
“Os buscadores vêm enfatizando que a velocidade de carregamento é muito importante porque, se demorar muito, o consumidor é desestimulado a navegar no site.”

Bruno Souza, Web Performance Engineer na Web Absoluta

 

• SEO On-page: User Experience (Experiência do Usuário)

Além dos fatores técnicos, os buscadores prezam muito pela experiência que o usuário tem em um site. Se alguém entra no seu site e sai em poucos segundos, é porque não encontrou ali o que queria, e os robôs podem interpretar isso como um sinal de que a página não está fazendo muito sucesso porque não é tão relevante assim.

Por isso, é essencial pensar em com o visitante vai se sentir quando navegar no seu site. Veja com o que você deve se preocupar.

• User Experience SEO – Sinais Sociais

Já tem algum tempo que as redes sociais se revelaram ferramentas importantes para qualquer empresa que queira ficar mais perto do público e vender mais. E elas também podem ser fatores de SEO que influenciam o ranqueamento.

Os sinais sociais são formas de interação por meio das redes sociais. Curtir, comentar, compartilhar e retweetar são alguns exemplos de sinais sociais.

Existe certa polêmica sobre qual o verdadeiro peso que as interações, por meio das redes dentro de um site, têm para o ranqueamento, apesar de um “curtir”, por exemplo, ser uma prova clara de que um usuário gostou do que leu em seu site. Apesar de ainda não haver uma constatação, os sinais sociais muito provavelmente são considerados pelos buscadores.

Além disso, mesmo que indiretamente, as redes sociais ajudam a disseminar seu conteúdo por aí, trazendo mais tráfego para o seu site. Então, mesmo que os sinais sociais não tenham um peso decisivo no ranqueamento, com certeza, vale a pena levar esse fator em consideração.

 

Palavra de especialista

Bruno Souza, Web Performance Engineer na Web Absoluta
“Quanto mais seu site é compartilhado, mais engajamento e mais reputação você ganha. E a reputação é um fator de ranqueamento. Por isso, é muito importante manter seu site integrado com as redes sociais mais populares.”

Bruno Souza, Web Performance Engineer na Web Absoluta

 

• User Experience SEO – Otimização com Vídeos

Assim como é possível otimizar os códigos no seu site, os textos e as imagens, é possível melhorar também seus vídeos para que eles tenham um desempenho melhor nos resultados de busca.

Os vídeos têm se popularizado muito nos últimos tempos e já se tornaram uma forma de mídia consolidada. Prova disso é que o YouTube, principal plataforma de vídeos, já é a segunda ferramenta de pesquisa mais utilizada, perdendo apenas para o Google.

Os elementos que você pode otimizar nos seus vídeos:

Título: no YouTube é possível usar títulos com até 100 caracteres, capriche neles!

Tags: aproveite o espaço de tags para colocar palavras-chave que tenham a ver com seu vídeo e possam facilitar a busca.

Descrição: é importantíssimo fazer uma boa descrição de vídeo, não só resumindo o conteúdo do vídeo, mas adicionando links e informações importantes.

Sobre: também é necessário fazer uma boa descrição para o seu canal e relacionar bem qual será o conteúdo que você vai publicar ali.

A importância dos vídeos

Ainda em dúvida se os vídeos são ou não ferramentas nas quais vale a pena investir? Veja essas estatísticas:

  • • Até 2017, a previsão é que 74% do tráfego será relacionado aos vídeos. (Syndacast)
  • • Quando você inclui a palavra “vídeo” em um e-mail marketing, a tendência é que taxa de abertura aumente em 19%, a taxa de clique em 65% e os pedidos de cancelamento diminuam em 26%. (Syndacast)
  • • Existe mais de 1 bilhão de usuários do YouTube. (YouTube)
 

• User Experience SEO – Elementos Interativos

Os elementos interativos são itens animados que deixam o site mais dinâmico e moderno. As principais tags de elementos interativos são a details e a tag menu.

Details: é a tag responsável por esconder um conteúdo até que ele seja solicitado para não confundir os robôs ou dar a impressão de que a intenção é manipulá-los. O próprio Google usa a tag details, mas há quem considere essa estratégia um pouco arriscada, uma vez que o buscador pode interpretar que você está tentando esconder algo dos robôs.

Menu: tag que facilita a criação de menus de forma rápida e priorizando a usabilidade, a tag ajuda os robôs a identificarem o menu e entenderem melhor a organização do seu site.

• User Experience SEO – User Signals (Sinais de Usuário)

Um indicador forte para o ranqueamento é como os visitantes têm se comportado dentro do seu site. Se ele tiver um conteúdo bacana, que agrada e informa, uma boa navegabilidade, que possibilite ao usuário encontrar facilmente o que procura e proporciona uma experiência agradável, seu site deve se posicionar bem.

Os robôs entendem que sua página atende a esses requisitos de acordo com alguns sinais de usuário. Existem algumas métricas de user signals que indicam que você está criando uma boa experiência para o usuário, como o tempo de permanência no site.

 

Palavra de especialista

Douglas Faria, cofundador da Assoweb
“Os sinais de usuário identificam o comportamento do usuário. Se alguém entra no seu site, sai e volta para o resultado da busca é porque você não está gerando uma boa experiência, e vale a pena analisar seu site para descobrir por quê “

Douglas Faria, cofundador da Assoweb

 

• CTR (Click Through Rate)

O click through rate, ou taxa de cliques, é algo importante a se considerar se você quer otimizar seu site para SEO. Receber muitos cliques pode significar que seu conteúdo é atrativo e parece responder bem aos termos buscados atrelados aos resultados do seu site, à pergunta que tem busca tem em mente, e que o motivou a fazer uma pesquisa.

• Tráfego Orgânico

Os resultados que aparecem na SERP são divididos em dois grupos. No topo estão os anúncios, que são resultados pagos. E, logo em seguida, estão os resultados orgânicos, ou seja, aqueles que estão ali por ter um conteúdo considerado relevante para os robôs.

Fazer anúncios pode ser uma grande porta de entrada para um novo público no seu site, mas ter um grande fluxo de tráfego orgânico, ou seja, não proveniente de anúncios, pode ajudar muito no seu posicionamento. E isso não é tão difícil. Diversas pesquisas afirmam que, em qualquer mídia, seja ela online ou off-line, temos a tendência de ser muito mais atraídos pelo conteúdo orgânico do que pelo pago.

 

Palavra de especialista

Douglas Faria, cofundador da Assoweb
“No SEO, cada fator de ranqueamento é um grão de areia. Um grão de areia é muito pouco, mas com vários grãos você consegue formar uma boa superfície. Se você quer resultados, é preciso fazer tudo.”

Douglas Faria, cofundador da Assoweb

 

• Taxa de Rejeição

Seu usuário entra e logo sai do seu site? Isso pode ser uma prova de que ele achou o ambiente desinteressante ou que o conteúdo não corresponde à meta e ao title que estavam na SERP, e é disso que trata a taxa de rejeição.

Uma taxa de rejeição alta pode, sim, prejudicar seu posicionamento nas SERPs, e por isso é preciso dar uma atenção especial a ela.

2 maneiras de diminuir taxa de rejeição

Ainda em dúvida se os vídeos são ou não ferramentas nas quais vale a pena investir? Veja essas estatísticas:

    • 1. Reavalie o conteúdo da sua página: verifique se o conteúdo é mesmo relevante e diferente dos que já existem.

  • 2. Substitua palavras-chave: talvez o problema seja que o seu conteúdo não é ruim, mas não tem muito a ver com as palavras-chave que o usuário usou na pesquisa. Experimente usar outras palavras-chave.
 

Eu ofereço uma boa experiência? 10 perguntas para descobrir

Às vezes, é bem complicado descobrir se o seu site está oferecendo uma boa experiência ao consumidor, mas há algumas perguntas simples que você pode se fazer, ou fazer para alguém que tenha acabado de visitar sua página:

  • 1. O design é bonito e agradável?

    2. O design tem a ver com o produto e a ideia da marca?

    3. Foi fácil encontrar um produto?

    4. As informações mais importantes, como preço, frete e parcelamento, estão em destaque?

    5. Há dificuldade em saber qual caminho tomar de uma página para outra?

    6. Existe algum elemento que incomoda ou tira a atenção do produto?

    7. É difícil encontrar informações de contato?

    8. A área de conteúdo institucional tem informações relevantes?

    9. As seções do site estão bem organizadas em grupos e categorias?

    10. O checkout é simples e intuitivo? Todas as informações ali são
    necessárias?
 

SEO On-page: Marketing de Conteúdo

O marketing de conteúdo é a estratégia que busca engajar e gerar vendas criando interesse do consumidor por intermédio de um material relevante para ele. Na era da internet e da informação, é muito importante fazer um bom conteúdo. Se você está querendo melhorar seu posicionamento, isso se torna essencial. Afinal, de nada adianta ter uma ótima hospedagem e boa estrutura de site se o conteúdo não se destacar.

• Keywords (Palavras-chave)

Pensando que uma busca é festa por meio de palavras-chave, é muito importante que seu texto contenha as palavras-chave que você imagina que seu consumidor vai usar.

Uma boa dica para isso é realmente colocar-se no lugar do cliente. Se você vai fazer um conteúdo sobre os celulares com melhor custo-benefício, pergunte-se o que o usuário vai pesquisar. “Celulares baratos”, “celulares bons e baratos”, “como escolher um celular”, “celulares em promoção”, são algumas possibilidades de palavra-chave que você pode incluir, nesse caso.

Dessa forma, o texto se torna cada vez mais pensado para as necessidades e dúvidas do usuário. E sabe o que isso faz do seu material? Algo relevante!

Dica

  • Na hora de fazer seu texto, é importante pensar e incluir as palavras-chave que você escolheu, mas é essencial fazer isso de forma natural. Os robôs são tão espertos que notam quando você está “forçando a barra” para que uma palavra-chave importante seja repetida várias vezes, ou apareça quando não faz sentido. Muito cuidado para não pesar a mão.
 

• Quantidade de Palavras

Quando falamos em conteúdo web, é preciso lembrar que textos mais enxutos, objetivos e claros são ideais para a internet. Um texto muito longo se torna cansativo, quando estamos online, e dificilmente é lido até o fim.

A quantidade de palavras-chave é bem relativa, mas alguns especialistas indicam que a palavra-chave principal seja repetida, no máximo, três vezes, e que também se usem algumas variações e sinônimos dela para não tornar a leitura muito repetitiva.

Densidade das palavras-chave

  • O plugin para Google Chrome, SEO Quake www.seoquake.com, pode ajudar muito quem tem medo de exagerar nas palavras-chave. Ele conta quantas vezes cada palavra foi repetida, dando uma ideia mais clara de onde você pode melhorar.
 

• Links Internos

Outra estratégia que traz ótimos benefícios para o posicionamento do seu site nas SERPs é fazer uma boa linkagem interna. Isso significa colocar links do seu próprio site dentro de um conteúdo seu, para que o usuário navegue de um conteúdo para o outro sem sair do site.

Com os links internos você consegue:

– Aumentar o tempo de permanência no seu site.
– Agregar mais informação para o consumidor.
– Fazer crescer o tráfego em páginas que ainda não têm tanto volume.
– Gerar maior quantidade de visualizações por página.
– Aumentar sua autoridade como produtor de conteúdo, mostrando mais do seu trabalho.

Voltando àquele exemplo de post sobre as melhores pizzas, você pode, oportunamente, linkar uma página de formas de pizza, outra página sobre pedras para assar pizza e outro post que já tenha escrito sobre as diferenças entre as pizzas brasileiras e italianas, por exemplo. O importante é buscar outros materiais seus que já tenha escrito, categorias ou tags que tenha usado e linká-los ao texto para oferecer mais conteúdo.

 

Palavra de especialista

 
“O dono de site tem de se preocupar em conectar bem as páginas do site dele para fazer com que o usuário navegue de forma mais inteligente, natural e assertiva.”

Bruno Souza, Web Performance Engineer na Web Absoluta

 

5 dicas para criar conteúdo relevante

    • • Descubra o que o leitor quer saber: para ser relevante, o conteúdo deve responder a dúvidas ou facilitar a vida de quem lê. Para que você possa conseguir essa proeza, é imprescindível descobrir o que a pessoa que pode se interessar por sua marca e seus produtos tem curiosidade em saber, quais são as dúvidas e o que interessa a ela.

    • • Use palavras-chave: são as palavras-chave que guiam os buscadores, então é muito importante usá-las, mas tome cuidado para não perder a mão e deixar seu texto cheio delas. Isso pode fazer com que o conteúdo fique muito artificial e os robôs considerem que você está tentando manipulá-los.

    • • Pense na linguagem: trabalhar a linguagem com a qual você vai se relacionar com seu público é uma das primeiras tarefas que você tem de concluir, antes mesmo de começar a escrever. Pense em quem é seu público e em que tipo de relacionamento você quer que eles tenham com sua marca.

    • • Fique atento ao tamanho: se o conteúdo em questão é um post ou página dentro do seu site, fique atento ao tamanho do texto. Na internet dificilmente lemos textos muito longos, a menos que eles sejam um e-book ou um superguia, como este que você está lendo. Se não for esse o caso, procure criar conteúdo enxuto e direto para garantir que seu visitante leia até o fim.

  • • Considere outros formatos: quando falamos em conteúdo, pode parecer que estamos pensando somente em texto, mas não é esse o caso. O conteúdo também pode ser um vídeo, uma imagem, um infográfico, um e-book ou um podcast, só para citar alguns exemplos. Diversifique o tipo de conteúdo de acordo com aquilo que fizer mais sentido para o seu público.
 

Os 10 principais erros de SEO on-page, de acordo com especialistas:

    • • Conteúdo duplicado: copiar um material de um site que tem bom posicionamento não vai fazer com que seu site suba também. Os robôs identificam que você está duplicando o conteúdo. E, claro, plágio é crime.

    • • Mais de uma title em cada página: agora você já sabe o que é uma title e para o que funciona. Mas é possível que, revisando seu site, você encontre mais de uma em uma mesma página. Se esse é o caso, trate de corrigir isso o quanto antes!

    • • Mesma title em todo o site: outro erro que muitos sites cometem. Cada página deve ter uma title diferente.

    • • Não ter as heading title bem estabelecidas: não ter heading titles denota falta de organização no site, o que pode prejudicar seu posicionamento.

    • • Não ter um código limpo: ter um código bem organizado e limpo facilita a vida dos robôs dos buscadores e é um dos fatores mais importantes no SEO on-page.

    • • Não ter uma boa navegação e design: um site feio e em que é difícil de encontrar aquilo que se procura não promove uma boa experiência para o cliente. Insatisfeito, ele sai rapidamente do seu site e vai para o próximo resultado.

    • • Não ter tag alt: como os robôs não enxergam imagens, ter uma descrição delas é essencial. A falta de uma tag alt pode prejudicar bastante sua estratégia de SEO.

    • • Não ser mobile responsive: de acordo com o Comitê Gestor de Internet no Brasil (CGI.br), 81,5 milhões de brasileiros acessam a internet pelo celular. Como isso é uma tendência mundial, o fato de um site não ser mobile responsive (adequar-se a telas menores) já foi declarado como algo prejudicial para o ranqueamento.

    • • Deixar de estudar o comportamento do usuário: as atitudes do visitante, antes e depois de entrar no seu site, vão mostrar o que precisa ser melhorado e quanto você está no caminho certo. Não deixe de levá-las em consideração.

  • • Achar que pode dar um “jeitinho”: vale repetir que não tem fórmula mágica para chegar ao topo. É preciso se dedicar e contar com bons profissionais para otimizar seu site.
 

O próximo capítulo será inteiro dedicado ao SEO off-page e você vai aprender estratégias em que não é necessário mexer no seu site. Está curioso para saber quais são? Então vamos em frente!